Associação Padre Manuel António Marques

Jovens gémeos com elefantíase

Em Outubro de 2010, aquando da deslocação de elementos da Direcção da Associação a São Tomé e Príncipe, cruzaram no caminho com os gémeos Nelson e Nilton Sacramento que sofriam de elefantíase, (filariose) em estado avançado da doença. O choque foi tremendo, e não mais foi possível esquecê-los.
Em Portugal foram postas mãos à obra. Muitos contactos, junta médica, muitas burocracias para se conseguir que viajassem para Portugal, já que nem documentos de identificação possuíam, mas, ao fim de 11 longos meses conseguimos que viajassem para Portugal. Uma alma caridosa pagou a viagem de ambos.

…./…

28/09/2011 – (Informação enviada aos associados)
Queridos Associados
É com uma enorme satisfação que vimos dar-vos conhecimento de que os gémeos santomenses que sofrem de elefantíase já estão em Coimbra, nos Hospitais da Universidade para serem operados. O Nilton será operado na próxima sexta feira, dia 30/9 e o Nelson será operado no dia 7/10/2011. Fomos recebê-los à sua chegada a Coimbra, juntamente com o Sr. Diogo, Cônsul de S. Tomé e Príncipe na Região Centro e que colaborou de forma muito directa neste processo.
A Associação está de parabéns por ter conseguido trazer até nós estes jovens, entregues à sua doença há 17 anos e já com pouca esperança de vida. “Agente estava muito triste, à beira da estrada, sentado, com mão na cabeça, cabeça quente…”confessava-nos o Nilton, de lágrimas nos olhos, já instalado em Coimbra. “Graças a Deus que conhecemos Drª Fátima. Lembro bem o dia em que a conhecemos. Eu vi primeiro, depois foi Nelson. Ela falou connosco. Pediu para tirar fotografia e disse que ia ver em Portugal se conseguia dar uma ajuda para agente. Agente ficou à espera… E conseguiu!!! Agente está muito feliz”
Agora, o que pedimos a Deus é que ilumine a equipa médica que vai fazer as intervenções, pelo menos duas a cada um, para que estas sejam um êxito e eles venham a ficar normais e possam fazer a sua vida normal, sem estigmas de cheiros horríveis e pesos enormes, (as suas pernas doentes têm cerca de um metro de circunferência) dores, febres e muita fome (pois não podiam trabalhar).
Confessam-nos: “às vezes agente ia capinar, arranjar quintal, para ganhar um pouco. Outras vezes os nossos amigos davam 10.000, 20.000 dobras, (0,50€/0,75€) agente também pedia… mas passou muita fome”
Esta fome estava estampada nos seus rostos, à sua chegada. Impressionou-nos profundamente.
As primeiras refeições foram fornecidas pelo Sr. Cônsul e foram a triplicar. E tudo comiam. Hoje no Hospital a dose também está reforçada, mas continuam muito carentes. Lá vamos nós levar mais reforço!… E eles riem, felizes com o nosso apoio.
“Depois quando agente estiver bom vamos com Drª Fátima agradecer a Nossa Senhora e depois vamos passear com Dona aí pelas ilhas… “referiu já por duas vezes o Nelson, com o seu sorriso envergonhado, (à semelhança de S. Tomé pensavam que Portugal fosse uma ilha).
O Sr. Prof. Doutor Norberto Canha quis ver os jovens logo à sua chegada a Coimbra e esteve a animá-los e referiu que, se Deus quiser, vão conseguir tratá-los sem necessidade de amputação. Este grande Senhor, que nos trouxe a luz de que provavelmente não será necessária a amputação, (até aí todos falavam em amputar), tem visitado os jovens e tem mostrado muito interesse por eles. Apesar de aposentado, vai tentar colaborar na cirurgia, dada a sua vasta experiência em cirurgias a pacientes semelhantes, na Guiné-Bissau. Que Deus ilumine a Equipa Médica!
Logo que haja mais notícias, informaremos os nossos associados.
Um abraço
Fátima